Aula de Canto #20: Manusinia e banda!

É estranho começar o relato da vigésima aula que tive até agora. Talvez por perceber que eu já estou em 20% de 100 ou porque 2 dezenas já são um número relativamente grande. Talvez eu simplesmente não tenha pensado, em meados de Outubro de 2014, que chegaria à aula 20ª, ou quem sabe eu achava que já estaria no nível da Kelly Clarkson a essa altura. De todo modo, alcançar essa marca me deixa feliz e com um bom sentimento. É isso que importa.

Minha garganta ainda não está 100% e ela ainda inventou de ter uma reação negativa ao ar condicionado da sala da aula de canto. Ou seja: o que não estava tão bom ficou ruim já antes de iniciarmos os trabalhos. Confesso que ~farrapei~ bastante nos treinos semana passada, então fui para a aulinha sem muitas expectativas, afinal, ela rende MUITO mais quando eu pratico em casa. Começamos os exercícios normalmente e Josie introduziu um novo vocalize que era mais ou menos assim: “UUUUUUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII”. Minha gente, eu não sei o que danado que tem nessas vogais, só sei que a ~treta foi ABSURDAMENTE pesada para eu conseguir fazer esse negócio (e eu não consegui no final das contas). Josie disse que o motivo é que elas se encontram numa “linha divisória” para muitas pessoas, e é justamente nessa linha que muita gente tem dificuldade para alcançar as notas. Se não me engano, o nome desse fato é “área de transição“. Além disso, o esforço que essas vogais exigem é horrível, ou seja: o que já tava ruim ficou impraticável. Eu chega fiquei com a garganta dormente após o vocalize, o que, obviamente, não ajudou em nada na próxima fase, as cantorias. Minha voz foi sumindo aos poucos enquanto treinávamos R U Mine e quando a aula acabou, well, eu basicamente não conseguia mais falar e passei as próximas horas com a boca fechada o máximo que pude.

Confesso que isso me deixa muito, mas MUITO mal, afinal, eu PRECISO poder usar minha voz e simplesmente faz 1 mês que não estou podendo fazer isso. Se eu falo, ela dói. Se eu fico ansiosa, ela tensiona. Se eu canto, ela piora. Ou seja: eu tenho que passar 6 meses sem abrir a boca para ficar 100% boa, é isso? Quer dizer: eu passo o ano passado todinho querendo fazer aulas de canto e quando finalmente consigo e entro no ritmo da coisa, minha voz fica limitada? That sucks, guys. Fortemente. Eu voltei pra casa super deprimida após a aula e com medo de, sei lá, nunca poder de fato cantar usando todo o meu potencial. Uma informação importante: Josie disse que não era o caso de calo nas pregas vocais. Pelo menos isso.

Após esse momento desabafo, vamos à boa notícia do relato: aparentemente a teacher já descolou baterista e está em vias de descolar baixista e guitarrista para minha performance. I mean… WHAT?????????????? Is this serious????????? Há pessoas interessadas em se apresentar comigo? Existem seres que darão o seu melhor no palco e não me farão passar vergonha? Isso tudo é muito, mas MUITO louco, caros leitores. Eu tenho seríssimos problemas com pessoas fazendo as coisas para mim. Eu tenho dificuldade nisso até em amizades e na minha própria família, ou seja: pensar que existirão pessoas ~QUE EU NEM CONHEÇO~ tocando comigo e esperando que eu não faça caquinha é… surreal, assustador, ANSIEDADE-maker. E é nessas horas que eu me sinto como uma artista de verdade: essa coisa de apresentação basicamente destrói todo o nosso sistema emocional e mesmo assim a gente não desiste. Usando um raciocínio lógico, se tudo isso me deixa tão nervosa, eu deveria simplesmente não fazer, não é verdade?

Mas eu faço. E farei.

Não sei ainda quais técnicas para aliviar a ansiedade que utilizarei no dia. Oração? Meditação? Leitura? Ouvir esquilinhos cantando? Imaginar que sou a Beyoncé? Só os Céus sabem. E enquanto esse momento não chega, vou focando em me acalmar pelo menos para estar viva durante os ensaios. Afinal, lá vai ter pessoas, provavelmente homens, que não me conhecem, não sabem a minha história e, em tese, não se importam comigo. Esse é o meu maior medo. Mas vou tentar mudar esse pensamento e considerar que eles serão os futuros membros da minha banda que vai sair por aí tocando muito e sendo feliz.

E eles vão se importar. Certamente.

~PALAVRINHA EM INGLÊS DO DIA~: “Screw up” = fazer caquinha, besteira, coisa errada e ilógica. Em resumo, o que eu NÃO posso fazer no dia 23 de junho de 2015.

~MUSIQUINHA DO DIA~ (sim, agora tem isso também!!!):

Porque dEle, por Ele
Para Ele são todas as coisas

Tudo é dEele
Tudo é por Ele
Tudo é para Ele
A Ele a Glória

A Ele a Glória
A Ele a Glória

Porque se tudo é dEle, por Ele e para Ele, não tem razão pra ficar nervosa! *recebe essa palavra e diz “amém”*

PS: Quando Josie foi me chamar para a aula, ela disse: “Bora, cantora!”. Não foi um momento catártico na minha existência mas achei muito fofinho da parte dela hihi. Um pequeno gesto que me lembra da confiança que a minha própria professora tem em mim.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s