VÍDEO: Não seja um cupido crente

Oi, gente! Tudo bom?

Já ficaram insinuando que você e seu melhor amigo deveriam namorar? Você já passou por momentos constrangedores devido a comentários inapropriados? Já te shipparam com quem você não queria? Então vem pra cá que o vídeo de hoje é pra você e todos aqueles que querem ser CUPIDOS CRENTES! 💔

Deixe um comentário e eu responderei com muito carinho! Me siga nas redes sociais:

YouTube Instagram Facebook Snapchat  Twitter

VÍDEO: Desilusão amorosa: 5 dicas cristãs para superar e evitar

Oi, gente! Tudo bom?  😀

Dor de cotovelo: QUEM NUNCA? Em 24 anos de espera, passei por vários momentos de sofrência ao som de Coldplay e Kelly Clarkson e é exatamente sobre isso que falo no vídeo de hoje! Como tudo tem seu lado bom, tirei 5 dicas preciosas (todas devidamente fundamentadas na Bíblia, claro) para quem deseja superar e evitar possíveis desilusões amorosas. Dê play e não escute Pablo nunca mais. 💔

Deixe um comentário e eu responderei com muito carinho!

Para se inscrever no canal, é só clicar aqui! E não esquece de ativar o sininho para receber notificações dos novos vídeos. 😉

Eu encontrei o amor que eu estava procurando

E hoje eu vejo isso claramente.

Hoje eu vejo que somos felizes porque nos encaixamos. Porque encontramos exatamente o que estávamos procurando, um no outro. Queríamos o fim das noites solitárias. Ansiávamos pela companhia que não iria embora. Desejávamos o primeiro beijo de amor das nossas vidas. E não encontraríamos os mesmos desejos em nenhuma outra pessoa.

Tinha que ser nós dois.

Hoje eu vejo que estamos em uma dança, e ela possui vários nomes. A Dança do Primeiro Amor. A Dança do Amor na Juventude. A Dança da Paixão Sem Fim. A Dança do Romance. Quando eu fecho os olhos, consigo me visualizar durante esse ato. Eu estou com vestes brancas e um lenço branco está em minhas mãos. Eu danço livremente, sem amarras, sem prisões. Eu olho para você e, nesse momento, a ficção se torna realidade, pois as lágrimas ameaçam vir. O interessante é que você não está nesse sonho. Eu vejo seu corpo. Vejo seu cabelo. Vejo seus pés próximos aos meus. Mas não vejo seu rosto.

Esse sonho é só meu.

O furacão dos primeiros meses passou. Ele veio, transformou tudo e me fez fazer coisas que, há alguns meses, eu não me julgava capaz. Me apaixonar. Me entregar. Amar. Me colocar na linha de frente para uma quantidade assustadora de sofrimentos e, mesmo assim, de alguma forma, não preferir estar em nenhum outro lugar. E agora que a calmaria veio, eu voltei a me sentir como eu mesma. Eu coloquei os pés no chão. Eu saí do furacão, um pouco tonta, um pouco descabelada. Parei, olhei e percebi que não estava mais sozinha. Agora, há uma pessoa segurando a minha mão e, ao que parece, ela não a soltou durante os ventos fortes e impetuosos.

E é essa pessoa que eu quero.

O vulto que não soltou minha mão durante a inconstância e a instabilidade de tempo e espaço. Aquele que desejava o mesmo que eu e, por isso, pode fazer parte do meu eu. Meu parceiro nessa dança tão singela, em câmera lenta e filtros cor de por do sol. Nos meus sonhos, eu não te vejo. Mas isso é só porque eu prefiro olhar nos teus olhos dentro da realidade, onde você é de verdade, e não só por quem eu esperei a minha vida inteira.

2015-12-22 07.45.25